Intrínseco.


Tenho o direito de ser... Não um ser qualquer.
Tenho o direito de ser, mesmo não sendo demasiadamente forte, mesmo não tendo a sua coragem e a certeza que te impulsiona a ir sempre em frente.
Não quero ser apenas!
Se tudo fosse somente o existir, o estar aqui e o andar entre as multidões, preferiria eu não ter essência, nem casca, nem volume ou forma.
Se for para coexistir contigo que eu faça de ti um pouco mais de mim e mostre as minhas fraquezas e minhas verdades.
Não seria para você uma doce ilusão e nem faria dos teus dias menos ou mais.
Tenho o direito de ser... Se for eu confusão ou clareza, enigma ou solução, desejo ou repúdio, ódio ou amor, somente você dirá.
Terá apenas o meu mais insensato e irracional sorriso, porque o que me compõe e o que me eleva ou me rebaixa guardo para os que amo e os que tem em mim um lugar onde se apoiar.
E se o meu ser te incomoda, te leva a cólera ou qualquer outra forma pessoa tua de exaltação, não vejo motivos para ainda continuar aqui me cercando, analisando e rindo das piadas mal contadas que deixo sempre reservadas para ti.
Sou! E se isso não basta, não sinta-se preso, você pode ir agora!
A sua ausência ou presença já não me pertuba mais.
Serei para ti aquilo que merece: nem ponto, nem vírgula ou exclamação. Nada.

Ps: Um texto do ano passado. Foi usado para expressar tudo que eu sentia, sem que eu precisasse dizer palavra alguma.

7 Comentários:

Naty Araújo comentou:

Nooossa... gostei dessa parte:
"Serei para ti aquilo que merece: nem ponto, nem vírgula ou exclamação. Nada."

Se eu tivesse lido só isso, já seria o suficiente.

Show!

Michele comentou:

Também gostei demais desse trecho, Bell!!!



E repetindo, mesmo não sendo aquele o seu estilo, você foi ótima! O texto mostra que você tem talento e versatilidade ;)

Naia Mello comentou:

adorei o texto. isso mesmo joga tudo pra fora para aliviar

Thayná comentou:

Nao existe coisa melhor do que colocar todo o sentimento pra fora e ainda mais escrevendo.

Bell Souza comentou:

O texto vai além disso Thayná, muito além. beijos a todos e obrigada!

Carla Rosenvelt comentou:

Lembro deste texto. Foi para mim.
Tenso.
Lindas palavras, anyway..
UAHEUAHAAUHEA

Beijo amiga.

Naty Araújo comentou:

Obrigada, Bell... haha.. eu ri muito com seu comentário sobre nossas escritas, mas às vezes é bom diminuir um pouco, né? rs..tentar ser diferente rsrs.

Estou curtindo mto seu blog.
Meu beijo pra ti e desejo uma linda tarde

 
Licença Creative Commons
O trabalho About My Truth - Sobre As Minhas Verdades de Rebeca C. Souza foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Com base no trabalho disponível em http://bell-aboutmytruth.blogspot.com.br/.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em https://www.facebook.com/aboutmytruth