Permanente - Parte II

Observador


Sou um legítimo caçador de mulheres, armado essencialmente de atributos físicos invejáveis.
Nunca houve uma garota que não se deixasse conduzir pelas minhas habilidades na arte da sedução e nunca haverá. Se os humanos possuem um dom, esse é o meu mesmo que não possa me encaixar tão confortadamente na categoria humana.
Existo há dois séculos assim como a minha irmã Emily, e durante esse tempo, fomos a dupla de caçadores mais temível dos da nossa espécie.
Emily foi a primeira a conhecer a escuridão. Antes disso, não possuíamos nenhuma informação sobre os seres da noite.
Algumas pessoas mais sensíveis aos limites entre o céu e o inferno chegaram a nos denominar vampiros, mas eu em toda a minha experiência de submundo afirmo que essa raça inferior de caçadores foi extinta; ficaram expostos aos olhos humanos e definharam ao mesmo tempo em que as pirâmides do Egito foram erguidas.
Ironicamente, uma raça mais desenvolvida e completamente letal surgiu através de uma combinação do DNA humano com uma espécie de ave predatória exclusivamente noturna que tinha uma base alimentar constituída do sangue das cascavéis do deserto do Saara.
O sacerdote do Templo de Urbi combinou inocentemente o seu próprio sangue ao veneno da cobra e ao sangue da ave desconhecida; ele não poderia nem em pesadelo prever as conseqüências daquela ação. Ele julgava se tratar de uma velha fórmula dos antepassados contra a lepra, injetando na sua corrente sanguínea a mais terrível criação.
Akunosh Amasis é o nosso primogênito e desde então, temos habitado a terra como se fôssemos meros seres humanos no intuito de preservar a verdade do que somos.
Nossas características físicas pouco se diferenciam dos outros homens e mulheres, apenas temos uma força inigualável, beleza absurda e pele assombrosamente branca fruto da falta da pigmentação de cor encontrada na espécie egípcia de cascavel.
A evolução genética nos favoreceu e podemos conviver tanto com o Sol como com os mortais e proporcionou a diferença entre nós e os vampiros convencionais: podemos ter uma “vida” normal e isso inclui uma dieta tipicamente humana.
Nunca entendi a nossa capacidade de sobreviver ao tempo e confesso que a trocaria por um punhado de experiências como os sonhos. Ah, os sonhos... Como gostaria de poder sonhar a noite. Meu momento de descanso é exageradamente longo e totalmente escuro, vazio.
Minha irmã encontrou um prazer maior do que a alimentação, já que escolhemos viver integralmente o mal que nos compõe. Ela escolhe a cada 80 anos um parceiro no qual pode dividir seus tormentos pessoais e depositar o amor reprimido de ter sido abandonada no altar dias antes de conhecer as trevas. Como um bom observador não vejo vantagens em relações pessoais com estas criaturas, mas a sedução, irrevogavelmente, é a minha melhor arma. Sacio meus desejos masculinos com as mulheres que compartilham a mesma essência e divirto-me com as belas jovens desprotegidas que como moscas em teia de aranha prendem-se cegamente a ilusão de um conto de fadas, sendo assim, não há motivos para que eu mude.
Sombras; é assim que nos chamam na Europa e é assim que agimos depois que o dia dar lugar a noite. E sombras como eu, apenas buscam um sangue fresco no qual possam se saciar. E por hora, a bela moça que vejo entrar descontraída num bar fora de moda me parece uma boa opção.

Ps: Essa é a continuação do conto Permanente. Vocês pediram uma continuação e eu me empolguei. Ficou enorme essa parte, mas ela é muito importante para que você entenda a história. Comentem bastante e me falem o que acharam dessa nova perspectiva.
Photo: Deviantart
 
 

11 Comentários:

Vitória Silva - @MyRadar_ comentou:

E depois disso terá mais uma continuação? *-*

Tati comentou:

Eu gostei. Sinceramente não sei se eu li a primeira parte,mas vou ver. Contudo. Amei essa.

Muito bem viajado e escrito.

Grande Beijo

Monique Premazzi comentou:

Quero mais, você vai continuar não é mesmo? Está incrível a história. Eu amo história sobrenaturais, são as melhores depois das de amor, é claro. Alias, toda história sempre tem um pingo de amor, verdade? :P

Beijinhos
xx

Gaabi M. comentou:

Nooossa...realmente está mto bom!
Gosto muito de histórias assim...espero que continue logooo!
bjos e até breve xD

Monique Premazzi comentou:

Continua *-*

Thizi comentou:

Sobrenatural é tudo que precisamaos hoje em dia! Tah perfeito! se houver continuação estarei aqui esperando

Bell Souza comentou:

haverá continuação.beijos

Wevertton comentou:

Opa. então espera aê! Deixa eu ler a primeira parte, e depois ler essa! Hehehehe
Mas li um pedaçinho e parece esta otimaaaa, tenho certeza! Beijos e passa la =]

. comentou:

Adorei! Li a primeira parte depois essa, amei a história, incrivel! quero continuação!

beijos!

Camila. comentou:

adorei o texto e o blog *-*'

Jack comentou:

Agora a história criou forma de vez. Muito bom, quero mais quero mais haha
Adorei a ideia de ele não poder sonhar e de se sentir vazio, assim como o nome que lhes deram - Sombras.

 
Licença Creative Commons
O trabalho About My Truth - Sobre As Minhas Verdades de Rebeca C. Souza foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Com base no trabalho disponível em http://bell-aboutmytruth.blogspot.com.br/.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em https://www.facebook.com/aboutmytruth