Metrópoles.


A luz das primeiras horas do dia entraram pelas fretas da minha janela.
Todas as manhãs eu acordo com a claridade excessiva do quarto. Levantei dirigindo-me ao banheiro desejando uma ducha com água morna. O café da manhã já me esperava sobre a mesa. Comi apenas torrada com geléia e tomei uma xícara de café com açúcar.
Meu carro estava sempre a minha espera na porta de casa, o mordomo tende a facilitar de todas as formas possíveis o meu dia. Girei a chave na ignição e dirigi até a trabalho.
Todos os arquivos estavam organizados nas gavetas e todos os papéis que eu deveria assinar já estavam preparados. Daniele, minha assistente, providenciara tudo. Eu sou uma mulher de negócios e mulheres de negócios não arrumam as suas gavetas, pensei.
Daniele entrou avidamente no escritório, tagarelando sobre a reunião que eu teria no fim da tarde. Essa reunião me garantiria a vice - presidência e muito mais responsabilidade e noites mal dormidas do que eu poderia imaginar.
Terminando os papéis e lido os arquivos desci 23 andares de elevador pretendendo almoçar. No restaurante em frente, minha mesa havia sido detalhadamente arrumada e o pedido costumeiro, a caminho. Daniele sempre ligava com 30 minutos de antecedência. Eu não precisava me incomodar.
Há muito tempo eu não me apaixonava e senti uma certa inveja do casal ao meu lado. Eu não poderia me dar a esse luxo, o meu objetivo era ser bem sucedida e, estava sendo. Esta tarde seria importante, eu não poderia ficar dispersa.
Voltei ao escritório, liguei o computador encontrando inesperadamente uma foto antiga, uma foto do tempo em que fui feliz.
Nesta foto eu estava com o único homem que amei. Tínhamos marcado de nos encontrar no centro de São Paulo. Ele me levaria ao Parque Trianon enquanto eu mostraria os meus lugares favoritos da Avenida Paulista.
Lembro-me de ter tomado sorvete naquele dia e de ver balões coloridos no céu.
Não esqueci o fluxo das pessoas e carros como não esqueci a sutileza com que ele segurava minha mão. Ainda lembro das conversas bobas e do sorriso infantil. Mas o que realmente não me sai da cabeça é o pôr-do-Sol que assistimos deitados naquela calçada suja e das pessoas assustadas com a nossa atitude. Éramos tão jovens...
O que me faz acordar todos os dias é a certeza de que em algum momento ele esteve ao meu lado. Respiro fundo e volto a olhar o escritório, a sala vazia.
Novamente me perco em lembranças a olhar aquela foto tirada por sei lá quem, fazendo-nos esse favor.
Volto ao instante em que contemplava-mos o céu. No instante em que ele se aproximou, beijou meu queixo e sussurrou no meu ouvido: - eu amo você e aconteça o que for estarei para sempre ao seu lado.
Ele me disse algumas outras coisas, mas eu já não lembro. Só conseguia te visualizar, memorizar.
Lembro-me de permanecer deitada no chão ao lado dele até o frio da noite nos inquietar. Volto a realidade. Desligo o computador. Pego sobre a mesa o envelope que me garantirá a tão esperada promoção.
Me levanto caminhando à saída. Fecho a porta. Com passadas firmes sigo para a sala de reuniões. Antes de abrir a porta me permito voltar mais uma vez a ele; a você.
Te vejo sorrir e me ajudar a levantar do chão frio. Te vejo me abraçar fortemente e jurar nunca me deixar. Mas você mentiu, você se foi.
Alguém me chama pelo nome; é hora de entrar. Simplesmente sorrio.
Giro a maçaneta e deixo o passado, assim como você, descansar em paz.

6 Comentários:

Fernanda Pessanha comentou:

Nossa, ele morreu? Eu acho que a Daniele deveria leva-la à algumas festas; gostei do texto, só entendi mesmo foi no final, isso leva as pessoas a quererem ler o texto todo.

Tudo Girl! comentou:

q textinho liindo! *-*
eu tbm axo q a daniele deveria leva-la a algumas festas.

aa, postei a cont. de pirate girls.
o post é meio longo e muitas coisas serao descobertas! corre la (:

Má.àh comentou:

Oi flor, nem esquenta não.
O bom é q agra vcê sabe que o Brigadeiro de Panela existe e sempre vai estar lá pra qdo vc precisar de umas colheres de chocolate.
Rsrsrs. Bjos.

Gabriela S. * comentou:

NOSSA,que texto mais lindo,parabéns.
bem chocante,impactante.
PARABÉNS,continue assim.
BEIJOS E SUCESSO !

Isadora Beatriz comentou:

Que texto ótimo! Muita boa sorte no bloinques!

dianaBruna comentou:

Nossa!
Bell, tá lindo!
Tem coisas que devem ser deixadas no passado, mesmo.
=*

 
Licença Creative Commons
O trabalho About My Truth - Sobre As Minhas Verdades de Rebeca C. Souza foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Com base no trabalho disponível em http://bell-aboutmytruth.blogspot.com.br/.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em https://www.facebook.com/aboutmytruth