Espelhos.





Prefácio


É quase impossível um neurocirurgião estar em casa no horário da noite. Normalmente estão fazendo cirurgias longas e cansativas, porém hoje, milagrosamente, meu pai resolveu me dar uma noite de descanso e, por ironia do destino, foi justamente a noite em que ela precisou de mim. Meu telefone tocou às vinte e duas horas e é por esse motivo que estou aqui em frente a um bar de esquina numa ruazinha vagabunda, subúrbio da cidade. Ela parecia nervosa, dava pra sentir a tensão em sua voz do outro lado, isso me preocupou muito. Não consigo imaginar motivo algum que a faça sair do seu estado habitual de humor doce e educado. Então, quando ela me revelou a localização do encontro, vesti uma camisa, peguei as chaves do carro e fui ao seu encontro.

**

Olhei para trás disfarçadamente e voltei a encará-la. Ela não sabia por que eu estava pedindo aquilo, mas, mesmo assim, se dispunha a me ajudar. Talvez essa garota não fosse só as belas pernas que tinha, pensei. Quem sabe ela não poderia realmente me ajudar se falasse com o seu amigo rico?
Sorri quando ela parou o que estava falando pra esperar que eu respondesse e, educadamente, acenei com a cabeça. Não podia me dispersar agora. Não hoje quando eu sabia que finalmente iria conseguir ajuda.
Peguei em sua mão, a puxei para a moto e avisei enquanto ouvia o ronco do motor.
- É melhor se segurar.


**

Os fatos recentes me conduziram ao meio desta encruzilhada. Eu tenho quatro caminhos, sendo que um é o caminho que me trouxe até aqui. E voltar atrás não é algo que eu possa fazer.
Procuro desesperadamente por outras saídas, outros caminhos, mas eu só consigo ver o pequeno bar nessa rua mal iluminada. Ele me pediu ajuda e, por mais que tenha algo nele que me tire a paz, eu não conseguiria recusar. Novamente eu olho o bar, sua localização, as pessoas rindo e falando exageradamente. Voltar atrás, como eu disse, não é uma opção. E sei que apenas um desses três caminhos me foi reservado.
O caminho à minha direita – seguro, suave, cheio de cores e vida. O tipo de caminho que te garante felicidade eterna. O caminho à minha esquerda – inconstante, tem curvas suntuosas, declives e pedras soltas. Um caminho perigoso e, definitivamente, o mais sedutor. O caminho a minha frente, por mais que eu tenha medo dele, poderia sim ser um caminho a percorrer. O problema é que este caminho é escuro, eu não posso determinar meus passos. É o tipo de caminho em que cada passo, por mais que seja simples e irrelevante, pode ser um passo em falso.

**

4 Comentários:

Isadora Beatriz comentou:

ai jesus, tive um ataque aqui rs.

quero mais, lalalala

beijos.

dianaBruna comentou:

eu gostei da idéia, tem futuro!!
=)
/]leitoracompulsiva
=*

Fran. comentou:

Uau, como você escreve bem !
também gostei da ideia, tem futuro mesmo :)

Bell Souza comentou:

Obrigada meninas, postarei mais!

 
Licença Creative Commons
O trabalho About My Truth - Sobre As Minhas Verdades de Rebeca C. Souza foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Com base no trabalho disponível em http://bell-aboutmytruth.blogspot.com.br/.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em https://www.facebook.com/aboutmytruth