Não ter.

Caro rapaz,

Tenho estado sem palavras. Palavras para descrever o quão doloroso é o meu mundo.
Já rasguei tuas cartas, já joguei fora os teus cd’s e tirei da estante todos os porta-retratos com as tuas fotos; nossas fotos.
Amarrei o cabelo, roí as unhas, apaguei a tatuagem. Só para te afrontar, apenas para te ofender; para te trazer de volta... Mas sou incapaz.
Tenho estado calma. Essa minha letargia incomoda o meu novo rapaz, mas o que fazer? Toda a inquietação em mim saiu vida afora pela porta dos fundos com você. Traiçoeiro como o vento marítimo, imprevisível como a onda do mar assim tu és. Inescrupuloso; e toda essa distância, essa falta e essa dor, mastigam minha língua ferida pelo meu veneno letal.
Tenho estado sem estado. De espírito, de endereço; sem sobrenome.
Presa na própria teia que construí. Forçada a seguir por caminhos que não são meus.
Guardando comigo os dias de amor, as lembranças das conversas, a cadeira de balanço no sótão que foi herança do seu pai e as duas peças de roupa sua no armário.
Tenho, portanto, o que restou: esta carta. Escrita nas sombras verbais, composta pelas lágrimas que regam as flores ainda meninas, do agora meu jardim. Flores que crescem inocentes do que um dia você foi; serão pois enfeites do teu túmulo.
- Até hoje eu só perdi uma luta: contra a morte.

Para o amor que foi embora antes de me fazer existir.

6 Comentários:

Taynara Ambrósio comentou:

ah, um amor passado, nunca esquecido. Amor, não tem como esquecer, por mais que a gente tente, é impossível.
Boa sorte no BLQ, a carta está linda *-*

bjs :*

Alice comentou:

Nossa, adorei teu texto, o passado um dia sempre volta, nem que seja em sonhos ou pensamentos soltos.

Os Pombinhos comentou:

"Toda a inquietação em mim saiu vida afora pela porta dos fundos com você"

Nossa! Que pânico perder toda a inquietação por culpa de alguém. Calmaria demais dá sono, né amiga?

Então, fiz esse blog aqui com Vini.. um dia desses vai lá pra dá uma lida nas nossas besteiras :P

Beijo. Eu amo você e to com saudade! =D

Inercya comentou:

"Tenho estado sem estado."
Quanta veemência esse teu texto. Às vezes fico até sem palavras quando leio o que você escreve.
;*

Naty Araújo comentou:

Nossa... eu amei, Bells.
Muito, muito lindo isso.

Adorei, sério, demais.

Vc é show!

Beijos

Velyne comentou:

O fim me deu calafrios.
Ui.
bj.

 
Licença Creative Commons
O trabalho About My Truth - Sobre As Minhas Verdades de Rebeca C. Souza foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Com base no trabalho disponível em http://bell-aboutmytruth.blogspot.com.br/.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em https://www.facebook.com/aboutmytruth