Choro e Riso.

Eu abro os olhos pela manhã e vejo você dormindo, sorridente, despreocupado.
Contemplo a sua face, admiro teus cílios longos que são engraçados em um rosto tão masculino; o contorno perfeito dos lábios, a cor da tua pele branca contrastando com a minha pele morena e involuntariamente, me vejo brincando com os dedos em cima da tua cicatriz na base da sobrancelha, herança das tuas travessuras de criança.
Fico em paz! Por ter-te comigo e por achar alguém com um nariz igual ao meu.
Não pergunte os motivos dessa necessidade que tenho em arrumar as malas e partir para longe. Às vezes desconheço a causa do que me faz agir assim, mas nós dois sabemos que não fui feita para grilhões, algemas, amarras...
Pisco para escorrer as lágrimas que mancharam teu rosto e te beijo. Você continua dormindo e eu não consigo desviar o olhar; não consigo parar de agradecer àquele dia 22 de outubro onde você quase me beijou no corredor da escola me fazendo ficar com raiva por ter me deixado na vontade de te beijar. Lembro com o coração crepitando você deitado no meu colo conversando coisas que eu nem sei dizer agora, apenas para me manter ali, ao alcance.
E foi nessa tangência, aos olhos distraídos dos espectadores, que finalmente você beijou a garota; a sua namorada. E tem dado, desde então, toda a sua reserva de sentimentos.
Você ainda sorri, e agora eu choro de alegria e amor; você ainda fica sério quando eu fico quieta e ainda leva susto quando eu te agarro nos momentos mais improváveis.
Somos diferentes! Esse é o tempero misterioso da nossa "cozinha".
Que outro rapaz agüentaria minha rispidez, raiva, medo e carência sem perder a calma?


- Eu te amo, meu rapaz. E esse é só o primeiro de muitos anos que temos para viver juntos.
{Texto ao som de Amber - 311 e Regina Spektor - On The Radio}

5 Comentários:

Tati comentou:

Gosto quando seus textos trazem essa doçura e transmitem essa calma. Porque gosto de ver a sua maneira real de ser e sentir toda exposta em palavras. Gosto de ler você por detro, me faz sentir bem por te conhecer esse pouco, que me é tão valioso, que conheço.

Beijos e está muito bom.

quareesma comentou:

algumas pessoas parecem que foram inventadas por nós, né?! *-*

beijas, sálinda :*

Inercya comentou:

Tua escrita me encanta, menina!

Bruna /crasht. comentou:

Adooooorei rs

Ludmila Ferreira comentou:

Rebeca Cristina,
Aqui é de fato o lugar em que realmente sinto quem é voce, onde ninguem precisa de muitas dificuldades para conhecer uma doce menina que aparentemente se esconde do mundo.
Aqui é o seu mundo,tem sua cor, seu cheiro, sua alma, e se todo mundo souber "despir a alma" como voce, tenho a certeza que de caminharemos de verdade para algo melhor.

Saudades receiosas de voce.

beeeijOdalua!

 
Licença Creative Commons
O trabalho About My Truth - Sobre As Minhas Verdades de Rebeca C. Souza foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Com base no trabalho disponível em http://bell-aboutmytruth.blogspot.com.br/.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em https://www.facebook.com/aboutmytruth