Adeus.

Acabou gente. Cheguei até aqui e só Deus sabe como tenho me esforçado para manter as palavras.
Não vou prolongar meu adeus, apenas quero deixar essas outras palavras:

""Adeus" alguém precisava dizer e esse alguém era eu, mas com que palavras?
Com que coração? De que jeito?
E tudo parecia tão direito, mas não foi bem assim o que eu sonhei pra mim..."

Fecharei esse blog, é isso. Um beijo. Não há mais nada que eu consiga dizer agora.

6 Comentários:

Inercya comentou:

Despedidas e adeus sempre são tristes.

Rebeca C. Souza comentou:

Sim, muito.

Jéssica Marques comentou:

Por que vai fazer isso?

fleur-du-matin.blogspot.com

Rebeca C. Souza comentou:

Sabe, Jéssica. Eu escrevo faz anos e não que eu pense ou deseje parar de escrever, longe disso! Acho que me falta perseverança, entende? Fé para acreditar que um dia eu vou acontecer, que as coisas vão acontecer, que alguém vai me parar na rua e dizer "Rebeca, aquele texto seu que você postou ontem era exatamente o que eu precisava ler. Como se você tivesse escrito pra mim..." Eu não tenho medo do não, nunca tive. Nem de rejeição ou coisas do gênero. Mas eu queria um retorno! Eu preciso de um retorno. De gente que leia o que eu escrevo e me diga alguma coisa. Que está fabuloso ou que está uma porcaria. Então, mesmo não querendo eu fico criando expectativas em cima disso e não quero que minha escrita se torne apenas o reflexo das minhas frustrações. Quero muito mais! Então, para ser honesta comigo e com vocês eu prefiro sair um pouco de cena. Quem sabe para amadurecer de fato e voltar com força e coragem para seguir adiante.

Inercya comentou:

Estava lendo aqui esse seu comentário para Jéssica. Rebeca, eu te entendo perfeitamente, entendo o que é isso. É claro, todo escritor deseja ganhar reconhecimento e ter retorno disso, por que se não, qual seria o intuito de escrever, não para as pessoas diretamente, mas indiretamente, escrever o que a gente sente, quase que como se ouvido por alguém ou pelo mundo. É essa a necessidade dos escritores... Ter leitores que leiam sobre os nossos sentimentos e que também consigam entendê-los, assim como entender os pensamentos. Eu também penso assim, quando escrevo algo, quero que as pessoas comentem, é claro, pois aí vamos ter a certeza de que alguém realmente leu, pois não podemos adivinhar, não é mesmo?
:*

Rebeca C. Souza comentou:

É isso, Inercya. Quem dera poder resolver tudo só com a escrita, não é mesmo? Que bom que você me entende! É reconfortante saber que eu não estou vagando só no mundo. rs
Beijos

*:

 
Licença Creative Commons
O trabalho About My Truth - Sobre As Minhas Verdades de Rebeca C. Souza foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Não Adaptada.
Com base no trabalho disponível em http://bell-aboutmytruth.blogspot.com.br/.
Podem estar disponíveis autorizações adicionais ao âmbito desta licença em https://www.facebook.com/aboutmytruth